Zero eletrônico, um "castigo didático"



Nunca foi fácil educar filhos e olha que eu posso dizer que os meus, na média,  são crianças "fáceis".. mas agora especificamente este ano posso dizer que a dificuldade até então habitante no campo do explicar porquês e do fazer compreender coisas óbvias da vida, começou a tomar forma de "dificuldade elaborada" o que talvez seja o prenúncio da adolescência que está por vir em breve, bem breve diga-se de passagem.
Dentre os contra-argumentos do Teus, agora eu tenho uma teimosia diferente, ele quer discutir se fazer compreender e como ainda falta maturidade para organizar todo o turbilhãozinho de sua cabecinha, ele por vezes (várias vezes ultimamente) tem sido teimoso, respondão e  até manhoso.
O comportamento embora já estivesse meio que previsto para um menino de 8 anos,  não tem me agradado .. obviamente !   E eu quero corrigi-lo, repreendê-lo e até castiga-lo se necessário for, de maneira didática e acolhedora e com isso nasceu o castigo "zero eletrônicos" e eu tenho pensando... Porque não pensei nisso antes ? rsrs


Comumente eu tiro o i-pad, celular e proíbo algumas coisas em troca de obediência e bom comportamento... Aliás, quem nunca ?
O fato é que esta "troca chantagista" sendo correta ou não, funciona ! 
E como funciona.. 
E eu, reles mãe mortal, como estou longe de ser uma perfect mom, uso das pequenas chantagens de cada dia ..   O papai noel e coelho da Pascoa que o digam.. meu amigos do peito, grandes aliados na educação dos meus filhos, sempre me auxiliam a conseguir o resultado esperado.. rsrs

Agora o que me fez vir compartilhar tal experiência aqui é que na semana passada, talvez por intercessão de algum santo protetor das mães irritadas, no auge da minha bronca eu tive a luz de dizer que até segunda ordem o castigo seria ZERO ELETRONICO..  e isso é zero mesmo !  sem i-pad, celular e sequer televisão e para que ele não ficasse sem ter o que fazer (já que eu sou muitooo boazinha), e como semana passada ainda era a sua 1a semana de férias, eu o deixaria andar de bicicleta, jogar bola e ler.. ler muito ! Ler no mínimo um livro por mês. 
E assim, despretensiosamente eu descobri que o Mateus é capaz de ler um livro fino em 2 dias !!  :-O
E consegui ainda mais .. Também por intercessão Divina eu tive o lampejo de escolher o livro certo e o guri amou! e amou tanto que me pediu para comprar o outro volume e agora está lá, lendo mais um livro e já com o terceiro aguardando a hora de começar, sendo que já estamos falando em livros grossinhos.

Aí eu me olho no espelho e pergunto.. como criatura, você não pensou nisso antes ????   
A solução estava ao lado, ou melhor, na prateleira ! kkkk   O desfecho disso é que até hoje ele não viu TV um dia sequer, tem pedalado, jogado bola, lido bastante, dormido à tarde e mesmo sem os eletrônicos, ele tem feito tudo o que criança precisa fazer.. se divertir !

E que venham os próximos "castigos" kkkkkk

Enxoval para bebês em Curitiba


Chegou em Curitiba uma nova opção para as mamães que estão fazendo ou renovando o quartinho do seu pequeno.. a BB Decora, um showroom especializado em mobiliário infantil, enxoval completo que vai desde o kit berço até a fraldinha de boca, carpete e tapetes de marcas renomadas como a Lorena Canals, itens decorativos, enfeites para porta de maternidade, acessórios diversos, cortinas, papel de parede e itens da linha Montessoriana.


A proposta é que a mamãe consiga tudo em um só lugar, evitando as exaustivas visitas de loja em loja, filas e demora no atendimento. 
Na BB Decora o atendimento é com hora marcada, com todo o conforto e carinho que as mamães merecem.



O showroom fica dentro da Maison Déco no bairro das Mercês, quase em frente à torre da antiga Telepar. 


BB Decora
Rua Jacarezinho, 545 - Mercês
(41) 9 9161-4461
#bbdcora   @bbdecora











Ok, você está perdoada por ser normal


O tema - Maternidade Real - está em voga, mas na prática não se sabe  exatamente quanto as mães estão se permitindo serem reais.
A temática maternidade real aborda e principalmente encoraja as mamães a se reconhecerem como "normais"  dentro da suas "falhas". 

Antes mais de nada precisamos definir "normal" e com isso quem sabe, poderemos nos apropriar daquilo que não tem problema em ser, daquilo que se espera que sejamos.. 

normal1
adjetivo de dois gêneros
  1. 1.
    conforme a norma, a regra; regular.

    "a homologação seguirá os trâmites n."

que é usual, comum; natural.

Convenhamos, se até o nosso querido Aurélio diz que normal é algo usual e comum, porque  nos sentimos mal em sermos aquilo que toda mãe é ?!?

A retórica é sempre a mesma ..

Teve medo do parto e agendou uma cesárea ? Natural sentir medo e é bem  usual não bancar a heroína do "além dor" caso  você ache que não precisa passar por isso..
Você não está conseguindo amamentar ?   Normal !    Muitas mães não conseguem.. Siga sua vida!  
Você está sempre  cansada ?  Ok, eu vivo cansada também .. eu e todas as mães das salas de aula dos meus filhos.
O seu bebê tem cólica mesmo você comendo tudo direitinho e seguindo todas as milhões de recomendações para que seu leite seja o melhor do mundo ?  Ok, tudo bem também !  O seu filho é apenas mais um em uma infinidade de bebês que sofre com este problema, e acredite.. vai passar !

O mais importante na árdua busca de aceitar-se como normal naquilo que muitos insistem em dizer ser possível agir como uma super heroína, consiste em você não dar ouvidos aos outros, até porque eles são apenas os outros !  Ainda que estes "outros" sejam suas melhores amigas, primas, ou até as avós da criança.  
Sempre terá quem viveu experiências extraordinárias, contrariando todas as suas dificuldades.
Dia sim dia não, aparece uma mãe contando que o filho dela foi desfraldado em três dias, ou falou paralelepípedo com 11  meses .. e tudo bem, que bom para quem consegue !  mas se  você der ouvidos e cair na cilada de comparar,  tomando por verdade as experiências alheias, estará fadada a viver em um labirinto de auto cobrança, arrependimento e culpa.  

Minha querida, você é para o seu filho a MÃE dele e esta palavrinha de 3 letras tem um significado afetivo enorme, que nem todas as literaturas empilhadas poderiam bastar tamanha complexidade de laço.. e digo ainda, que o "ser mãe" te dá a prerrogativa de poder aprender sozinha, na prática e muitas vezes por acerto e erro, tudo aquilo que se precisa saber para ser verdadeiramente uma boa mãe, até porque boa mãe é aquela que falha também e depois acerta e quando acerta geralmente é movida pelo amor !  

Imagine que  triste para uma criança crescer com o imaginário impossível de que sua mãe é perfeita.. Quantas verdades teriam que ser apresentadas à este individuo ?
Para estas mães cheias de fórmulas infalíveis, cedo ou tarde haverá o momento da verdade na vida de seus filho, quase que na proporção de..

_ Pedrinho, mamãe precisa te contar duas coisas .. Uma é que Papai Noel não existe e a outra é que eu falho !  E falho muito, meu filho !

Meooo Deusss que horror !!  Só de pensar neste dia já sinto arrepios.
Tão melhor poder dizer, filha hoje mamãe vai cozinhar um miojo para o nosso jantar, pois eu trabalhei o dia inteiro, estou muito cansada e não tenho disposição de fazer uma comida elaborada.  Amanha, caprichamos no almoço, ok ?

Acredito piamente no poder da verdade e da espontaneidade entre pais e filhos.  É uma construção diária e que deve nser pautada em transparência e em fatos reais.
Uma criança que enxerga as debilidades de seus pais, apresentadas por eles próprios e já acompanhadas de soluções ou de planos pro day after, tem muito mais condições de crescerem seguras e realizadoras, pois elas estão convivendo com a resiliência de seus pais, que é quando algo acontece fora do esperado, mas que em seguida tudo pode voltar a ser como antes e depois "bagunçar" de novo.. como em qualquer vivencia "normal", com os altos e baixos da vida.

Então querida não se fala aqui em não dar o seu melhor, mas sim em fazer o melhor dentro do que uma mulher "humana"  pode fazer..  ofereça para comer aquilo que você consegue preparar,  alfabetize o seu filho no ritmo dele,  crie regras para sua casa que você e sua família possam seguir e se não der certo..  ah, tudo bem vai !  regras existem para serem quebradas. 
E assim,  siga tranquila e seja feliz.. pois você está 100% absolvida do "pecado de ser normal".

Bjs carinhosos
Gláu






Deixemos nossas crianças serem crianças

Atualmente com a velocidade da luz que as coisas andam, seja com a globalização, internet e até mesmo pelo Mercado, estamos sendo empurrados a sermos rápidos, super diplomados e estarmos sempre a frente  e   quando percebemos estamos fazendo tudo pra ontem, pulando etapas, tentando chegar antes e infelizmente muitas vezes nós sequer sabemos onde.
 
Tenho visto cada vez mais o impacto disso tudo nas nossas crianças.  É como se a infância não tivesse mais tempo de ser infância e cada dia mais cedo as nossas crianças precisam crescer e consequentemente entrar na roda de ser bem sucedido, que é fruto de estar precocemente ultra graduado, falando cinco idiomas, tendo viajado o mundo, sabendo isso, sabendo aquilo para poder o mais rápido possível ter ter ter alguma coisa.
 
O termo pré-adolescência por si só já mostra que os adultos estão aceitando e olha lá senão empurrando, suas crianças para se tornarem adolescentes cada dia mais cedo  e assim que chegarem à adolescência, o comércio, os tantos idiomas e infelizmente até suas famílias os empurrará a se tornarem adultos.  Tudo nesta velocidade, incrivelmente rápida e até sufocante dos dias de hoje.
 
Já não bastasse que nossas crianças não podem mais brincar na rua até as tantas da noite, eles ainda são fadados a assistirem novela com suas famílias que não enxergam censura em mais nada, ou no "melhor" dos casos, para que não assistam à programas impróprios à sua idade, tais crianças gastam seu tempo livre em i-pads, celulares  ou games diversos, pois não se tem mais tempo de brincar em família com jogo de tabuleiro ou simplesmente jogar conversa fora no sofá. 
Não bastasse as crianças serem pré-adolescentes com 8 anos, agora aos onze é comum vermos meninas de salto que foram obviamente comprados por seus pais, meninos já não podem aos 8 se interessar por determinados brinquedos porque isso não é coisa de sua idade  e quando chegam aos 15, 16 anos a vida sexual destes adolescentes já é agitadíssima, sua inocência e consequentemente a melhor fase de suas vidas já foi embora há um bom tempo e muita, muita gente acha isso normal.
 
A intenção não é polemizar sobre um tema que por si só já é bastante polemico, mas trazer à tona as nossas mais divertidas e inocentes lembranças infantis que infelizmente nossos filhos não poderão viver. 
 
Podemos ao menos tentar fazer algumas pequenas trocas na rotina dos nossos filhos
 
Menos eletrônicos
Uma noite por semana substituir um eletrônico por algum jogo de interação em família como imagem e ação, tabuleiro, perguntas e respostas, stop ou o que sua imaginação mandar
 
Mais diálogo
Ao menos uma vez na semana, tentar trocar o som do carro no trajeto da escola por uma conversa franca e descontraída em família.
 
Menos pressa
Separar da correria cotidiana os momentos que serão dedicados à família, de forma que quando estiverem em família, realmente as pessoas estejam ali, nem que para isso seja necessário que todos coloquem seus celulares em uma caixinha, que não se atenda o chefe ao telefone e/ou ninguém ligue a TV, para que neste momento as crianças percebam que seus pais estão realmente dedicados à elas.
 
Explicar o porque das coisas
Conter o quanto for possível a adultização das crianças explicando-lhes com paciência e principalmente com amor as etapas da vida, fazendo-as compreender que a pressa neste caso é a saudade de amanhã e contribuindo para que sua criança seja plenamente criança enquanto assim estiver.
 
Quem sabe exaurindo o tema, este resgate dos principais valores da infância possa acontecer, nós possamos ainda frear este trem descarrilhado que hoje nos transporta e oxalá trazer para nossas crianças, enquanto é tempo, o brincar, o se sujar, o rir em família.. Pois o caminho da maturidade  é uma estrada sem volta da qual cada individuo adulto bem sabe, deixa sempre muitas saudades do que ficou pra trás.
Já que a deliciosa infância  esta apenas de passagem .. Vamos deixa-la passar tranquilamente !

Silicone e Mastectomia parcial .. Hããã ????


Então, esta mamãe que já está com sua "cota de filhos" completa resolve começar a arrumar aqui e ali, afinal, por mais que eu tenha sido uma gravida magra e me mantenha assim até hoje o peito .. hummm ... hããããã ... digamooooossss .. TRABALHA rsrsrs  e o com os meus, trabalhando no sentido inverso ao que deveriam estar, resolvi partir para o silicone e fui procurar o medico para começar a analisar possibilidades.

Mordendo a minha língua em 3, 2, 1 !!  Pois eu sempre disse que não colocaria prótese ..

Mas enfim, estou eu na consulta com o Dr André Auersvald tratando os detalhes de uma então, suposta cirurgia estética e ele me pede, pelo meu histórico materno, hereditariedade e histórico de displasias mamárias, para fazer uma ressonância de mamas além da mamografia que é comumente solicitada pelos médicos.   Confesso que fiz sem pestanejar e sem nem sonhar que pudesse aparecer alguma coisa..  Volto com o exame lá estavam as minhas mamas, recheadas de cistinhos, displasias e para meu susto, três nódulos na mama esquerda sendo um de 7mm e dois de 5mm, com diagnóstico de BI-RADS 3.  Depois farei um outro post detalhando a terminologia BI-RADS, mas a principio já informo que é o termo usado para definir o grau das doenças de mama, indo de 0 a 4, sendo que o 4 já é maligno.

Foi um baque, pensei um milhão de coisas.. chorei, me desesperei e depois levantei a cabeça e parti para um outro tipo de cirurgia .. ainda estética, porém, com a retirada de 70% das mamas, onde teoricamente saíram os nódulos e as displasias..  O material foi enviado para biópsia e daqui pra frente darei sequencia com uma oncologista e agora além de "curtir" todo o processo pós operatório que definitivamente é bem mais complicado que eu imaginei, dada a complexidade da cirurgia, eu também estou amargando a ansiedade da espera pelo resultado.

O período me faz lembrar aquela frase.. "Quem procura acha" e embora eu esteja meio perdida com tanta informação, dou graças ao BOM Deus que eu descobri no estágio 3 da doença.

Enfim .. vamos que vamos !  Peitos novos, cabeça erguida e fé em Deus !

Mamãe Executiva, e porque não ?

 
Quem me conhece sabe que eu vivo me auto analisando e às vezes até carregando culpa por ser uma mamãe workaholic, mas ao   mesmo tempo que me sinto assim, analisando a minha convivência com as crianças, os excelentes momentos que temos juntos e principalmente, o feedback em palavras ou atos deles a meu respeito, me levam a concluir que ..  Uma culpinha aqui outra ali eu sempre terei (isso é da maternidade) mas no saldo geral, tenho sim, MUITA qualidade de convivência com os meus filhos.
 
Frequentemente eu me deparo com textos e relatos de mães que deixaram o cotidiano profissional em prol da maternidade e de coração eu digo .. Parabéns mamães ! Vocês são o máximo e sua coragem é desejada e até invejada por muitas !!  
Mas aí fica sempre aquele monstro invisível atrás da porta de nós mães que optamos por manter nossas carreiras.. É algo que nos assombra, ninguém vê, mas aquela culpa está ali.. quietinha ! e pronta para dar o bote no proximo dia de trabalho em que o filho ficou com febre na casa da vovó.
 
Pensando nisso, criei uma lista de prós para as mamães que assim como eu, querem manter suas carreiras em paralelo à maternidade e que às vezes precisam de um empurrãozinho na auto confiança de que estamos fazendo a coisa certa ..
 
1) As crianças se adaptam à escola ou à babá bem melhor do que nós imaginamos;
 
2) À medida que crescem e começam a entender, muitas crianças se orgulham do posicionamento da mãe;
 
3) Filhos de mães que trabalham fora, tem uma tendência a serem mais independentes;
 
4) É comum uma criança que vê a mãe saindo de casa para trabalhar, ter um maior entendimento sobre o esforço daquela mãe para lhe prover as coisas que ele precisa;
 
5) Os momentos de união entre mãe e filhos tendem a ser muito mais intensos e melhor aproveitados;
 
6) Mulheres que trabalham e cuidam de filhos, tendem a ser mães mais pacientes e profissionais mais humanas;
 
7) Profissionais que trabalham fora trazem  assuntos e vivências  diversas para ter com sua família o que propicia refresco na relação com o marido ou demais pessoas da família e momentos de diálogo ao chegar em casa;
 
8) E por fim, é inegável que mamães que trabalham tem condições financeiras de cooperação nas despesas da casa e das crianças, o que contribui não somente para o orçamento familiar como também para a autoestima da mamãe. 

Porque os bebês dão tapas ?


A Cecília ainda não fala, ou melhor, ela não verbaliza mas já fala de tudo .. ao seu modo !
Com a personalidade bem definida para uma menininha de um ano e meio, a minha pequena sabe bem o que quer e também o que não quer e quando contrariada ela berra, esperneia, chora e agora de uns dias pra cá, ela bate ! 

Como mãe confesso que fiquei assustada o dia que levei o primeiro tapa da minha princesinha, pois ela não é uma menina agressiva, não costuma bater em amigos, no entanto ela me bateu com força em um momento que eu contrariei a sua vontade.   Aquilo me assustou principalmente pelo fato dela ter usado a agressividade para se comunicar, mas depois conversando com uma amiga psicóloga e também pesquisando a respeito eu me tranquilizei, pois este é um comportamento normal nesta faixa etária, em que eles ainda não sabem lidar com suas frustrações.

Logo, encontrei no site da SOSSEGUINHO  algumas dicas de como lidar com os tapinhas de nossos filhos.
  1. Segure firmemente a mão da criança.
  2. Olhe em seus olhos e baixe o tom de voz, deixando-a mais grave. Diga de forma séria que esse comportamento não é aceitável e depois, volte sua voz ao tom natural e fale que carinho é um comportamento bonito enquanto passa a mãozinha do bebê levemente em seu rosto (ou no da pessoa em que ele bateu).
  3. O mais importante de tudo: nunca bata em seu filho! Se você lhe dá tapinhas para mostrar o que ele não  pode fazer, ele certamente dará tapas quando você ou outra pessoa fizer o que ele não quer.
Desta forma, seu filho logo entenderá que essa forma de comunicação não é aceitável e procurará outras formas de se expressar.    http://sosseguinho.com.br

Minha poesia na Revista Crescer !!



Quando estava grávida da Cecília eu fiz uma poesia para expressar tudo o que sentia naquele emocionante momento. 
Postei minha poesia no blog e do ano passado para cá eu a vi sendo usada por muita gente .. Bacana !  Afinal, publicando eu sabia que seria usada por muita gente.. Já vi fotógrafos ilustrando seu trabalho, já vi mamães blogueiras copiando e colando em seus blogs, já vi gente usando no facebook e isso me deixa feliz (desde que citando a autoria, ok?).
Eis que hoje uma amiga gestante me manda um print de uma publicação de fevereiro deste ano da Revista Crescer de quando a atriz global Juliana Knust usou a minha poesia para ilustrar a foto da sua barriga e a minha amiga só descobriu porque procurava no google poemas sobre gestação e quando leu viu que era de minha autoria, ela sequer sabia que eu tinha escrito tal poesia.  Legal, né ? 
O único porém é que a Juliana Knust  alterou a poesia e ninguém mencionou  na reportagem que era uma adaptação.
Bom .. abaixo segue print da Crescer e mais abaixo ainda um repost da minha poesia ORIGINAL !!

 E aqui, a poesia ORIGINAL na íntegra, como eu escrevi em 14/02/2014.
A Barriga
Minha barriga parece o mundo, redonda e a arredondar
e neste mundo eu carrego a vida
que está prestes a chegar
Nesta barriga tem pensamento
sobre o que está pra começar
tem sentimento, tem emoção
tem incertezas do meu coração
Na minha barriga vivem sonhos
e eu não me oponho a contar
pois quem cresce neste mundo, não tem segredos
que eu não possa partilhar
Nesta barriga cabe o céu, cabe a terra e também o mar
cabe carinho, cabe ansiedade
e a necessidade de te embalar
Na minha barriga eu carrego Cecília
uma população em uma só menina
que habitará o meu lar
E desta barriga que parece o mundo
já sinto saudades de quando acabar
mas começará o que de mais profundo
tem o amor pra me ensinar...
(Gláucia Boaron Fleischfresser)

Gostou ?  Então sinta-se à vontade em usar a poesia, só cite por favor a autoria e mencione eventuais adaptações, ok ! ;-)

Posts Recentes

Últimos Comentários

Não perco por Nada!

CAIXINHA DA MAMÃE - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2013
Desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL