Que bom que você veio ..

Hoje eu vivi um dos momentos mais singelos e lindos da minha vida ..  Sabe aquele frio na barriga de quando encontrávamos o carinha que estávamos a fim ?  Sabe as borboletas no estômago de saber que a pessoa está chegando e ao abrir aquela porta você vai encontra-lo ?   Então, esquece!  Ficou tudo muito, mas muito pequeno perto da emoção que um rapazinho de 1,20 "me causou" hoje.

A escola do Mateus faz muitas aulas expositivas, acolhida na entrada, evento não sei do que .. enfim, por um lado é ótimo e por outro péssim, péssimo, em se tratando de uma mãe que trabalha do outro lado da cidade e cuja logística para estar presente nestes eventos é realmente muito, mas muito difícil. E com isso, eu vivo com o coração apertado !  Adoraria ter disponibilidade de estar la, sempre com ele, levando-o a escola, participando das atividades e curtindo tudo o que sei que ele espera que eu compareça.    Hoje porém, foi uma situação ainda mais atípica, pois estou na semana pré-férias o que faz com que eu tenha que resolver ainda mais coisas lá na empresa antes de me ausentar.  Por conta do dia das mães, eu já estive algumas horas do meu dia na deliciosa atividade com ele no colégio semana passada e hoje era a "aula aberta de movimento" das 13:30 às 14:40h.   Conversei com o Jo logo cedo e ele não poderia ir, o meu dia também não comportaria esta ausência da empresa, então eu sentei com meu pequeno pela manhã na hora do café, com um baita nó na garganta e fui explicar que infelizmente hoje nem a mamãe, nem o papai poderiam ir e que eu gostaria que ele entendesse e não ficasse chateado.  Foi quando ele me respondeu, com o olhar mais meigo do universo e já lacrimejando. "_ Mas mamãe, eu queria taaanto que você fosse !, se você não for, só eu vou ficar sem mãe ?"  ...  Gente, aquilo mesmo que sem intenção, foi mais dolorido que uma bofetada.  Eu contornei como pude, tivemos que sair correndo pra leva-los às escolas e ele foi achando que ninguém poderia acompanhá-lo.   Liguei pro meu pai e perguntei se ele faria a função e justamente hoje ele não poderia..   Eu passei a manhã com um nó na garganta como se algo ruim estivesse  para acontecer e acho que de fato (salvo o exagero) decepcionar o meu filho seria algo ruim, ainda mais depois de um pedido tão sincero e inocente.

Quando deu 13:00h eu pensei .. Eu vou !  mas foi uma decisão cheia de amor e coragem, por mais simples que possa parecer, pois realmente não era o momento de eu largar o barco e sair correndo .. mas assim fiz!  E aí começou o trajeto mais corrido e engraçado da semana, pois parecia coisa de filme, tuuuudo de esquisito aconteceu.  Eu parei no drive-thru do Mac Donalds para comprar algo pra ir comendo enquanto dirigia, paguei pelo sanduiche e bem na hora que era pra me servirem enguiçou sabe Deus o que e esta parada no Mac demorou mais que o normal.. Inquietação, arrependimento, pois nem que eu quisesse abandonar o pedido eu poderia, havia um carro na minha frente e outro atrás e eu trancafiada naquele corredorzinho de veículos.     Depois de um delay bem grande e após eu acompanhar tudo o que as mães que já estavam na escola diziam no grupo de mães do whats, eu saí cantando pneus, pois agora eu teria apenas vinte minutos pra chegar do outro lado da cidade.. Foi quando peguei um caminho que teoricamente seria um atalho e estava tuuuudo parado .. Não, não, nããããão !  Que azar !!   Peguei uma outra ruazinha estreita, dei uma volta gigante, mas saí do congestionamento e continuei dirigindo, lendo a cada semáforo o que as mães escreviam no grupo do whats  e lembrando de quem me esperava .. 
Será que daria tempo ?   Será que ele ficaria feliz,  ou, como qualquer criança, nem estaria mais lembrando ?!?    E eu ali, prestes a fazer uma besteira pelo transito de tanto que corria ... Bom, foco..  Eu tinha que chegar ! 
Quando eu vou me aproximando da escola, vejo já do alto da rua aquela fila interminável de carros para entrar.     Pra completar tudo,  justo hoje tinha uma bendita Ana do Frozen na calçada falando com os carros da fila, divulgando uma peça de teatro que terá no final de semana e eu ali, nervosa como se fosse encontrar o amor da minha vida .. e não é que de fato ele É o AMOR DA MINHA VIDA ?   Pois bem, depois de mais uns bons minutos parada esperando todas as menininhas dos carros da minha frente pegarem nas mãos da Ana que ia passando de carro em carro eu finalmente entrei na escola e com a maior dificuldade do universo  e   contando já os quase dez minutos de atraso, eu achei uma bendita vaga.     Foi quando eu corri, corri acho que como quem aposta uma corrida pelo corredores compridos da escola, até que eu visualizei uma fila de mães subindo de mãos dadas com os seus filhos para a sala de judô.      Tirando todos os exageros de coração de uma mãe apaixonada e atrasada, parecia que eu estava chegando ao final de uma maratona, pois eu estava descabelada, suada e a cada mãe conhecida por quem eu passava, eu ouvia um cumprimento exclamado e eu só respondia .. "Tá tudo bem, depois falamos, preciso achar o Mateus" ... quando já do meio da fila pra frente eu o visualizo...  lá em cima de mãos dadas com a professora...   eu esqueci de tudo, da etiqueta  e  do não se exaltar em público !  e por alegria de chegar antes da atividade começar e também pelo ímpeto da situação toda, eu gritei ...    MATEUS !
Ele virou pra trás   (assim como todas as demais mães da fila) e veio  correeeeendo de bracinhos abertos gritando MAMÃÃÃÃÃE !!!   Pulou no meu colo, me abraçou apertado, com o olharzinho de gratidão e soltou ..  "_ Que bom que você veio!".  

Agora a tarde eu recebi três whats de mães dizendo terem se emocionado  com a minha chegada e com o jeito como ele me recebeu.   E eu, estou super emocionada até agora.  O que em outra circunstância pareceria uma bobeira, hoje foi um capítulo de fim de novela..

A aula foi uma delícia, eu sentia a gratidão no jeitinho dele que me abraçou e beijou o tempo todo até a hora de eu voltar ! E agora,  eu não vejo a hora de chegar minhas férias semana que vem para ficarmos, novamente,  beeeem grudadinhos ! 

Os filhos chegam, as amizades se vão.. Mas voltam !

 
Neste dia das mães, entre inúmeras coisas lindas que ouvi e li, uma querida amiga de longas datas  escreveu algo que me marcou de forma especial; Entre os inúmeros elogios que ela tecia à sua filha newborn (a Duda tem 1 mês apenas)e à mim, agora  como a fotógrafa da bebê, ela disse que a menina veio para lhe dar um "pacote de presentes" e que entre eles, ela trouxe a minha amizade de volta !!  Legal e lindo, né ?  Aí, você deve estar imaginando que nós teríamos brigado no passado ou coisas do gênero, para ela mencionar "amizade de volta" .. Não !  não é nada disso.. é que um casal que não tem filhos mora em um continente e aquele que tem, mora em outro e assim, nós estávamos há quase 6 anos em continentes muito distintos.    Uso esta metáfora para explicar quão grande é a diferença dos estilos de vida após a chegada do(s) filhos(s) e neste caso do meu exemplo, é como se ela tivesse agora, há alguns meses, se mudado para o meu mundo.
 
Para tecer mais sobre este tema, temos que voltar um pouquinho no tempo e falar sobre como eram as nossas vidas, quando morávamos no continente dos casais ..
 
Um casal, casado ou não, e que não tem filhos tem mais tempo, disponibilidade para aceitar rápidas mudanças, pode topar qualquer compromisso e mesmo que ele surja de ultima hora, pode viajar com uma pequena mochila nas costas, não tem que trocar fraldas de ninguém, cuidar do horário de sono de ninguém e qualquer sanduíche ou petisco com cerveja pode substituir um jantar.  Além disso, a disposição de um casal sem filhos é, de modo geral, bem maior do que aqueles que já entraram pro "status família" pois salvas exceções, eles dormem mais, cuidam mais de si e não estão preocupados com um outro ser em tempo integral.   Com isso, suas amizades que vivem o mesmo status, podem facilmente se unir a eles quer seja em casa, no barzinho ou naquelas deliciosas viagens marcadas de ultima hora com partida sexta à noite após o expediente para um final de semana divertido na praia.
A vida das pessoas que não tem filhos não requer muita programação e os compromissos, não tem motivo nem hora exata para acabar e aí mora a grande diferença da coisa.
 
Quando um belo dia, este casal se muda para o continente das família, tudo fica muito, mas muito distante daquela vida de antes.  Então este novo continente seria chato e quase sufocante ? Não, muito pelo contrário!  é deliciooooso, mas é indiscutivelmente, diferente !     A vida agora tem horários, do bebê, vale pontuar !  E o casal terá de esquecer os seus horários, pelo menos por um tempo. 
O porta malas do carro precisa ser espaçoso, pois a pequena mochila com biquíni e chinelinho do final de semana, ganha carrinho de bebê, cercadinho, mala com um monte de roupinhas e utensílios, a comida dele deverá ser previamente pensada, pois ele não vai comer qualquer coisa como o casal facilmente faria em outras primaveras e com isso, se um amigo lá do seu continente antigo liga te chamando de última hora, muito provavelmente você não vai conseguir aceitar, pois o seu tempo de preparo para qualquer compromisso agora mudou !  Mas e quando não se trata de viagem ? Aí não tem que preparar um arsenal de coisas, mas sim, ir ali no barzinho da esquina, coisa rápida e fácil..   Puro engano !  Para que seja possível ir neste barzinho aparentemente despretensioso e que já foi palco de tantos papos leves e agradáveis entre você e seus amigos, será necessário arranjar alguém para ficar com o bebê e aí começa outra odisseia .. De última hora, é provável que os avós e padrinhos também já tenham compromisso e muito provavelmente você se resuma em agradecer e declinar do programa.
 
E assim, programa a programa, febre a febre da criança, viagem a viagem, seus amigos vão compreendendo o quão difícil é agora contar com este casal .. ops, com esta família e aos poucos, os convites vão diminuindo e a amizade se resume aos aniversários, quando  uma vez ao ano, é uma delícia se encontrar, bater papo e dar boas risadas como nos velhos tempos.
 
Com o passar dos anos, a tendência é que a família vá se organizando. Aquele bebê com cólicas vai se tornando uma criancinha cada vez mais engraçadinha, que come de tudo, que não usa mais fraldas e que pode facilmente, acompanhar os pais nos churrascos de seus amigos.  Os amigos, por sua vez, também estão vindo aos poucos pro continente família à  medida que seus filhos vão chegando  e assim, com seus horários  e agora hábitos também restritos, torna-se mais fácil compreender o estilo de vida da família alheia, pois os programas agora tem um coisa em comum.. precisam se encaixar no ritmo dos filhos e quando você menos espera, os barzinhos viraram restaurantes com espaço kids, os churrascos badalados, viraram parques, ou ainda que churrascos mesmo, mas na televisão agora não passa mais aquele DVD que a galera curte, mas a Galinha Pintadinha, que é pra entreter a criançada e por fim o papo.. quando você se dá conta, da amiga patricinha à workaholic, todas, sem exceção, estão falando de...   Filhos !
 
Portanto eu te digo ...  As amizades vão (umas nem tão longe, elas ficam ali do ladinho como a minha e a da minha querida amiga Izabelle) de quem eu até fui madrinha de casamento.. Mas se esta amizade for realmente verdadeira .. Ela volta !!

Qual é a idade ideal para se tornar mãe ?

A Cecília está bem doentinha há uma semana, já trocamos a medicação, já levamos em especialista e  agora é cuidar, com ainda mais amor, superar as noites em claro e esperar com fé que o tratamento faça efeito ..    E a vivência desta última semana me fez refletir..  Eu acho que sou uma mãe velha !  Se eu tivesse meus vinte aninhos talvez eu aguentasse mais..  São tantas noites sem dormir, as de recém nascida, as de cólica, agora as de bronquiolite e sei que ainda virão muitas outras e por inúmeros motivos .. mas e eu ?  será que eu vou dar conta, se hoje que eu tenho 37 já ando tão cansada ???
À partir desta minha reflexão inicial, fui pensando sobre tudo o que "precisamos ter" para nos tornarmos mães e depois de muitas lembranças desde a chegada do Mateus, quando eu tinha 31  e agora com Ceci há um ano na minha vida, eu pude notar que eu não sou uma mãe velha, mas sim, eu sou a mãe ideal na idade ideal que os meus filhos precisavam ter !
Pude concluir que filho vem, e é somente com a sua chegada que nós aprendemos o que é ser mãe !  Não há curso e não existe literatura, por mais didáticos e completos que sejam, que serão capazes de nos preparar para a prática, pois a maternidade precisa ser vivida para ser aprendida e compreendida, independente da idade.
Também entendi que se vier " no susto" a gente dá conta .. Mas hoje eu também sei que um filho desejado aos 20 ou aos 40 anos, nos dá meio caminho andado na caminhada da maternidade.    Eu digo isso porque hoje compreendo por mim, pela minha querida prima/comadre e por algumas amigas, o que é a "força do querer" quando uma mulher deseja um filho.   Independente da idade, uma mulher que transborda amor já tem no amor, boa parte da sua formação, não precisará de mestres experientes e leituras aprofundadas, mas sim, do seu próprio amor para se sair bem na deliciosa empreitada que a espera.  
E hoje eu compreendo, que a idade ideal para ser mãe é aquela em que você curte a gravidez  ou  chora na gravidez .. é quando você tem um ótimo pós parto  ou  também quando dá depressão pós parto..  a melhor idade é aquela em que você chora junto com o bebê que sente cólicas, é também quando você amamenta grunhindo de dor nos seios, bem como, o momento em que tem que deixar o filho na escolinha para ir trabalhar, quando a criança fica doente e não te deixa dormir e você pensa .. não vou aguentar e por incrível que pareça, é aí que você tem ainda mais forças. 
E por que é que eu concluí isso ?   Porque independente da idade, condição econômica / social, profissão ou religião o que uma mãe sente por um filho é a mesma coisa em qualquer idade..
Uma mãe jovem ou aquela nem tão mocinha assim, tem os mesmos anseios e  as mesmas alegrias, inseguranças e até frustrações. 
Portanto, para minha alegria e ainda mais força para seguir em frente, eu te digo que não é a idade que prepara uma mãe, mas a chegada do filho, onde juntos os dois aprenderão a construir esta linda relação, pautados unicamente na cartilha do amor !!!

Posts Recentes

Últimos Comentários

Não perco por Nada!

CAIXINHA DA MAMÃE - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2013
Desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL