Enfeite para a porta de maternidade

Dicas de enfeites fofos para porta de maternidade, tem para todos os gostos e estilos ..









Vitória! A Anvisa proíbe o uso de Bisfenol-A

Meninas, comemorem esta vitória é das mães brasileiras!!   Finalmente a ANVISA proibiu o uso de Bisfenol-A no Brasil..  Segue para conhecimento :



SAÚDE

Anvisa proíbe venda de mamadeiras com bisfenol na composição


A decisão tem como base estudos recentes que apontam riscos decorrentes da exposição à substância. A Anvisa informou que a proibição está alinhada às medidas já adotadas em países como o Canadá e os Estados Unidos e países da União Européia

AGÊNCIA BRASIL

Mamadeiras fabricadas no Brasil ou importadas para uso no país não poderão mais conter a substância bisfenol-A, informou nesta quinta-feira (15) a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A decisão tem como base estudos recentes que apontam riscos decorrentes da exposição à substância – mesmo em níveis inferiores aos que atualmente são considerados seguros.

“Apesar de não haver resultados conclusivos sobre o risco do bisfenol A, a decisão da Anvisa atende ao princípio da precaução e busca proteger as crianças" de até 12 meses, informou a agência, em nota. O bisfenol A está presente no policarbonato, que é uma substância utilizada na fabricação de mamadeiras. O principal substituto do policarbonato nesses utensílios, segundo a Anvisa, é o polipropileno.

Os fabricantes e importadores de mamadeiras terão 90 dias, a partir da publicação da medida no Diário Oficial da União, para cumprir a determinação. As mamadeiras fabricadas ou importadas dentro do prazo de 90 dias poderão ser comercializadas até 31 de dezembro deste ano.

A ANVISA informou que a proibição está alinhada às medidas já adotadas em países como o Canadá e os Estados e países da União Européia. No MERCOSUL, completou a agência, medida semelhante deverá ser adotada em breve.


 Parabéns às mamães brasileiras que há longas datas vem lutando por isso !!

Às minhas amigas mães

Antes de você ter filho, você gosta da criança alheia, acha bonitinho e às vezes até ADORA  criança, mas por mais paciente que você seja e bem intencionada, nada se compara ao comportamento que você terá o dia que o bebê for seu..   Digo isso não somente pelo amor que se tem por um filho, mas pela maneira como você começa a enxergar as coisas!  Eu sempre digo que a maternidade me deixou melhor como pessoa, ainda cheia de defeitos, porém considero-me pós Mateus mais tolerante, mais desapegada às coisas aparentemente sem importância e que antes eu supervalorizava e principalmente tornei-me mais humana!   Com isso, você entra em uma sintonia que passa a combinar mais com aqueles que possuem em seu dia a dia a mesma rotina que você !  Em momento algum estou colocando em segundo plano as minhas queridas amigas que ainda não são mães, mas por uma seleção natural das coisas até que elas tenham seus filhos nossas vidas andarão em linhas paralelas e não mais na mesma, como antigamente ..  Como é que você vai topar qualquer programa a qualquer hora com seus amigos como você fazia antes de ser mãe ?  É difícil e por estas e outras, contudo a amizade continue a freqüência dos encontros acaba diminuindo ... até que estes amigos comecem a ter seus bebês e voltem a manter contato contigo porque agora o ritmo de vida deles está igual ao seu ... É a ordem naturalíssima das coisas !

A partir desta reflexão inicial, quero destinar este post a todas as minhas amigas mães que sabem exatamente as dores e as delícias da vida de quem resolveu padecer no paraíso .. rsrs   Isso mesmo !   nós padecemos diariamente, não é meninas ?  E o mais engraçado é que o fazemos sorrindo!   Ser mãe é estar a todo o momento nos extremos dos sentimentos e na “engrenagem do trem”.. Pra mãe não tem tempo ruim, pra mãe não tem mais TPM, cólica, dor de cabeça ou gripe .. a gente deixa de lado, agüenta firme mesmo com dor, tirando forças sabe Deus de onde, pois qualquer problema nosso, fica ínfimo quando o assunto é o nosso filho.    Á partir daí eu começo a lembrar de cada caso relatado por cada uma das minhas amadas amigas, que com suas experiências agregaram e ainda agregam muito conhecimento à minha jornada.

Agradeço à querida amiga Andréia Minski, que foi a primeira amiga a ficar sabendo da minha gravidez e no ato me deu a maior força!  Ela já tinha a linda Sofia com um aninho e pouco na época e foi dela que eu ouvi uma frase que sempre me faz lembrar dela .. “_Com a maternidade vem a culpa” rsrsrs e não é que você tinha razão amiga ?  A Andréia acompanhou toda a minha gravidez, viu as ecografias “quentinhas saídas do forno”, quando eu voltava do médico pulando de alegria e também me disse várias palavras de incentivo nos momentos de minhas incertezas .. Ela é psicóloga de formação e  não atuante, mas comigo ela clinicou !  hehe      Andy, adoro conversar e trocar experiências com você !

Falando em Andréia, tem também a Andréa minha cunhada que mora em Milão e por este motivo ela não pôde acompanhar a minha gestação de perto, mas nós trocamos alguns (diversos) e-mails a respeito né Deda ?  Além disso, ela mandou livros, roupas, cremes para mim, carrinho e bebê conforto pro Mateus e  continua mandando roupas fofas pra ele até hoje !  Em alguns aspectos eu acho que somos bem parecidas, somos metódicas e gostamos de tudo no seu devido lugar e algumas poucas conversas que tivemos pessoalmente do nascimento do Mateus pra cá, foram super úteis e sempre me lembro de alguns trechos com carinho .. Obrigada minha flor !   saudades de você !

Na linha cunhada eu não poderia deixar de citar a Simone, que já bem mais experiente (Ada, 15 e Guta, 10) sempre teve coisas boas pra me passar e volta e meia me ajuda cuidando do Mateus .. obrigada “tia Simo”..


Tem a Angélica (ma cherrie amie mère du Nicolas) e agora quase mamãe do Gabriel .. SEJA BEM VINDO GABRIEL !!  a quem eu tive a oportunidade de fotografar (esta foto deles é de minha autoria).  No quesito “educar” acho que pensamos mais ou menos da mesma forma e sempre temos figurinhas a serem trocadas .. não nos vemos com muita frequência, mas quando nos encontramos é sempre muito bom !  Te desejo um ótimo parto minha querida, que Deus abençoe você e que logo tenhamos o Gabriel nos alegrando a cada dia.
Durante a minha gestação, estavam grávidas também a Simone Araújo e a Cris Boese Mercer (que eu chamo de Cris do João) cujos bebês nasceram dias antes que o Mateus (Henrique, filho da Simone)  e  dias depois ( Maria Luiza, filha da Cris).  Sempre quando nos encontramos temos coisas pra falar a respeito destes peraltas e dóceis amores de nossas vidas !  O Henrique e o Mateus sempre se encontram no parquinho do clube e por serem meninos ultimamente começaram a demonstrar atitudes de “moleque” e a gente adora rsrsrs   A Maria Luíza é mais calma como toda menina e aliás, agora ela acaba de ganhar um irmãozinho e por mais este motivo é que a Cris será fundamental para me dar dicas no momento em que eu resolver encomendar o meu segundo rebento. 
Simone, João e Henrique

João Guilherme, Maria Cristina e Maria Luiza

Voltando ainda mais no tempo, digamos antes até de eu engravidar quem figura este capítulo é a Rafa e o Eduardo ..  Eles são nossos amigos de beeeemmmm longas datas e foram os primeiros a ter um filho, tanto que hoje o Guto está com 04 anos e tem um episódio interessante que faz com que eles passem a ter papel indiretamente fundamental na minha gravidez ..  Eu acho que foi a paternidade do Eduardo que despertou a do Joel..   E na época, no aniversário de um aninho do Guto o Joel que estava se desmanchando de amores pelo filho alheio me falou com todas as letras “_ Amor, seria muito legal se nós tivéssemos um filho também” .. E agora fazendo os cálculos, eu acho que nós engravidamos naquela mesma semana .. hehehe
Esse é o Guto, que hoje está super grandão ..

E como não falar das amigas mais novas em minha vida, mas não menos importantes.. Julianne (vulga sogrinha, mãe da Anna Vitória), Emanuela (mamãe do espevitado Juan) e Cassiana que já tem o Gianfranco com 11 anos ?!?    Eu conheço estas três queridas amigas há quase dois anos e como estamos todas no mesmo barco (o Mateus a Anna e o Juan tem praticamente a mesma idade) nós acabamos por nos ajudar quase que diariamente, pois como elas são amigas do trabalho nos vemos todos os dias e desta forma, desabafos de mãe cansada por noites em claro, desabafos por se sentir culpada em não ter tanto tempo para os pequenos, assim como, altas risadas quando falamos de suas peraltices e gracinhas, fazem parte de nossas conversas cotidianas.  A Cassi, embora seja um ano mais nova que eu, eu a enquadro no ranking de amigas tidas como “a voz da experiência”  rsrsrs, pois como o Gian já é pré-adolescente ela sempre tem um algo a mais a acrescentar.    E recentemente veio a Lisandra que tem o Lucas, com quem também volta e meia eu bato papo.
Julianne, Anderson e Anna Vitória linda da tia Gláu..
Jean (papai), o fofo Juan ao centro e a mamãe Manu

Cassi, mamãe do Gianfranco aprontando com o Mateus


Agora falando de Dani ..  Muito embora ela tenha estado super sumida, acabei de reencontrá-la !  A Dani tem o Gabriel que está com 13 ou 14 anos agora e por muito tempo, ela era a amiga com filho que convivia frequentemente com um casal sem filhos!  Acho que isso se deu principalmente porque o Gabi e o Joel tinham um gosto em comum .. Games ! E desta forma ela ia lá em casa e enquanto ficávamos nós duas bebendo vinho e batendo papo, os dois “duelavam” em joguinhos de computador rsrsrs   A Dani foi a amiga pra quem um dia eu cheguei e disse quase que sussurrando .. “Miga, acho que meu instinto materno está despertando”  e na hora ela me fez um discurso gigante de que era bom, de que eu deveria ter sim e logo .. enfim ... tudo o que ela me disse naquela tarde era a mais pura verdade, estou constatando a cada dia que ela tinha razão !
Dani Falavinha, mamãe do Gabi (sei que está estranho, mas não é exatamente o que parece rsrs)


E por fim, eu não poderia terminar este post sem falar de um casal que nós gostamos muito o João e a Alinne.  Na verdade por falta “de vergonha na cara mesmo” é que nós não nos vemos com tanta frequência, mas eles sabem que moram em nossos corações.  O João é primo irmão do Joel e quando pensamos em quem escolher pra padrinho do Mateus sem titubear ele foi a primeira pessoa que o Joel mencionou e assim aconteceu ..  Por fim, a madrinha do Mateus não é a Alinne porque resolvemos democratizar e pegar um primo de cada lado e portanto a madrinha dele é a Luciana minha prima, mas a Alinne é uma pessoa muito legal também, com quem mesmo encontrando com pouca frequência as nossas conversas são sempre muito boas.  Eles tem o Pedro de 06 anos, logo, ela tem bastante coisa a agregar no meu diário aprendizado da maternidade ..
João e Aline 


Parabéns meninas à cada uma de vocês que por amor "aguentam o tranco" diarimente, sendo profissional, esposa, filha, nora, dona de casa, enfermeira, professora, mecânica de carrinhos, médica de bonecas, ouvinte, educadora .. MÃE !
Enfim, eu gostaria de escrever aqui acerca de todas as mamães que tem ou tiveram participação na minha vida desde a minha gravidez pra cá, mas para isso eu precisaria de um site inteiro e não somente de um post.  Mas tem logicamente todas as minhas tias, amigas e primas que mesmo tendo crianças mais velhas e já terem passado por isso alguns aninhos atrás, me deram dicas, estenderam a mão e contribuíram de alguma forma com este processo.

Um suuuper beijo à todas 
Com muito carinho
Gláu

Tentando a cada dia

Coração de mãe é meio bipolar !  Você oscila entre opiniões incontáveis vezes ao dia !  Você quer ser uma boa mãe, porém não permissiva demais ..  Aí você resolve adotar a conduta durona, afinal ele anda terrível e aprontando demais, logo em seguida, ele te solta uma risada gostosa e dá aquele sorriso desconcertante que te faz enxergar que ele é apenas uma criança querendo estabelecer o seu espaço e dali a pouco você se pega analisando .. que tipo de mãe eu sou ?  Qual linha de criação eu sigo ? e ao final da tua análise (se é que ela tem final) você percebe que não tem fórmula, não existe método ideal e tampouco uma definição assertiva do que é certo e errado !  Simplesmente ser mãe é estar em constante adaptação ao momento..  Você tem que ser flexível/maleável, mente aberta para mudar de idéia quantas vezes forem necessárias e as vezes por estranho que pareça até meio bipolar .. pois você chora, você ri e dali a pouco você está chorando de tanto rir !!  A maternidade é isso, uma eterna certeza que nada é certo !  Tudo muda a todo tempo de acordo com as informações que estão a volta do teu filho, com o meio em que você vive, as pessoas com quem convive e os lugares que frequenta .. a história da sua vida ajuda a compor a da vida dele e como não vivemos em um molde e sim, vivemos talvez a era mais aberta e bem informada de todos os tempos, é natural que tudo esteja mudando a todo momento.

O que eu concluo disso tudo é que deveremos ser sempre amigos de nossos filhos e estarmos bem próximos deles !  Se conseguirei isso já não sei, até porque me refiro aqui justamente as incertezas da maternidade.. mas ao menos eu penso que agindo com o coração e doses razoáveis de razão, com certeza a tendência é dar tudo certo no final e quando menos esperarmos estaremos lá, vendo nossos filhos felizes e seguros porque foram criados por uma mae que foi durante toda a sua criação amiga, humana e verdadeira. 

Acabou minha licença maternidade

Se você está prestes a voltar a trabalhar, certamente os pensamentos que assombram sua mente não são nada diferentes dos da maioria das mamães.. A cruel dúvida de onde deixar o seu pequeno(a). Existem muitas controvérsias acerca de deixar um bebê praticamente sem anticorpos em uma escola ou creche, bem como, alguns especialistas não recomendam deixar com a avó e, além disso, temos a questão babá que é realmente uma decisão muito particular de cada mãe.

Quando o Mateus completou dois meses eu comecei a analisar a situação, troquei idéias com mamães que já tinham passado por esta dolorosa ruptura que é o final da licença maternidade e também comecei a especular a respeito de babás, a visitar escolinhas e também conversar com minha sogra ..  Se eu te disser que qualquer uma das alternativas anteriores seria a ideal para o meu filho eu estaria mentindo, porque no meu coração de mãe a única pessoa neste mundo com quem ele deveria ficar era eu.  A minha sogra é daquelas “super avós” que criou 04 filhos e já tinha antes do Mateus 04 netos, porém ela é uma pessoa relativamente compromissada com seus afazeres sociais .. mas ainda assim ela se prontificou, porém a vida dela ficaria tomada pelo Mateus, ou, se ela fosse dosar vida pessoal X neto pequeno, ela teria que deixá-lo com sua empregada de vez em quando e isso definitivamente eu não queria.   Comecei então a procurar a babá ideal , mas confesso que na época o meu perfil de babá ideal era quase inatingível, inconscientemente eu procurava o meu clone.  Por fim, vamos às escolas.. Visitei exatamente nove escolinhas e sempre tem aquelas que você detesta, as que julga aceitáveis e uma ou outra no meu exigente crivo, foi tida como ideal.  

Pois bem, o dia 14/12/2009 foi dificílimo para mim, ele acabara de completar 05 meses e  eu o deixei no berçário da Escola Santo Anjo (aprovada por mim em estrutura, higiene geral, tempo de praça e atendimento ).  Na hora de entregá-lo para a “tia” ela me perguntou ..  “_Ele estranha mamãe?” já esticando os braços para pegá-lo e eu em um ato de total descontrole respondi chorando que quem estranhava era eu e de lá eu fui embora  com a sensação de que eu era a pior mãe do mundo ..

Quando você não tem muita experiência, é agarrada ao teu filho, tem medo de que não cuidem bem dele como você e aliado a tudo isso você realmente precisa deixá-lo em uma escola, é normal que você comece a encontrar "pêlo em ovo", se assustar com pequenas coisas e questionar-se diariamente se deve mantê-lo lá ou não.. 

O meu conforto veio através da experiência das profissionais da Santo Anjo.  Um dia me vendo chorar (eu fiquei praticamente um mês saindo de lá a cada manhã, com os olhos cheios d’agua) a Siona dona da escola, me parou no corredor perguntando se estava tudo bem e no desenrolar da conversa ela me convenceu de que se eu não confiasse na escola eu jamais superaria aquele momento e o comentário derradeiro para minha mudança de conduta foi a de que o Mateus  também passaria a apresentar dificuldades em ficar na escola ao sentir minha insegurança.   A partir daquele dia, meu esforço foi ainda maior para não chorar à toa e para entender que eu era apenas mais uma, dentre inúmeras mães que trabalham fora e vivem esta realidade a cada dia.

Dois anos se passaram e eu compreendi a importância da escola no desenvolvimento social e cognitivo do Mateus e hoje enxergo a Santo Anjo como um excelente berçário/maternal para o nosso principe.     O Mateus é um menino doce,  educado, tem seus dias de birra e pirraça como toda criança, mas de um modo geral o senso coletivo é muito bem ensinado na escola e desta forma ele sabe dividir, pede por favor e diz obrigado, sabe comer sozinho,  além de ser obediente para a idade dele .. enfim, são características da personalidade dele  que foram lapidadas em sua maioria pela escola que é onde ele passa a maior parte do seu tempo. 

Hoje se alguma amiga viesse me questionar o que eu perguntava a todo mundo 2 anos atrás sobre onde é melhor deixar o filho, com certeza minha resposta seria para que optasse pela escola.   Criança que fica com babá, em sua maioria não tem muita informação agregada, pois as babás de um modo geral são contratadas para cuidar e não para ensinar ou corrigir palavras erradas e além de tudo isso, ainda tem o agravante de que hoje em dia (salvas as exceções da regra) sua casa deve estar equipada com câmeras para que você possa ter real tranqüilidade sobre os tratos com seu filho.
As avós também seriam uma excelente opção se não fossem .. avós !  Avó costuma ter aquela frase que eu não posso nem ouvir .. “_Vó é pra estragar mesmo”   ou   “_ Na casa da vovó pode tudo”  e depois lá está você, com uma criança mal-criada e ainda te desafiando ao dizer que a vovó é legal e que você é a chata !  Além disso, as vovós fazem favor aos filhos em cuidar dos netos e se ela estiver te fazendo um favor, como é que você vai falar de algo que não gostou ?  Mais uma vez, a escola sai ganhando no meu ranking ..
As escolas possuem profissionais preparados para primeiros socorros, as escolas tratam as crianças pelo coletivo, logo, eles aprendem a agir dentro de regras, cumprir horários e aprendem sobre partilha;  Na escola, você tem hora para deixar e hora para pegar e se por acaso a professora tiver algum contratempo que precise se ausentar você não precisará sair correndo à caça de algum parente ou amigo que possa ficar com teu filho, eles simplesmente colocam uma “tia substituta” na sala e pronto;  E por fim, as professoras da escola seguem as tuas regras!  E isso é EXCELENTE !!   Como lá você e seu filho são clientes, eles fazem de tudo para atendê-los da melhor maneira possível (e realmente atendem), portanto suas recomendações e solicitações na agenda são seguidas à risca, por mais exigente que possa parecer o que você pediu, diferentemente da babá ou da vovó que agirão de acordo com suas opiniões próprias achando que você é exagerada ou exigente demais.

Enfim, como este post retrata o que foi melhor para mim e para o Mateus, pode ser que você esteja discordando em alguns pontos dependendo do estilo de vida que você leva, mas para uma mãe que trabalha ... EU...  e precisa que seu filho ... MATEUS...  fique próximo do meu trabalho, seja bem cuidado, seja educado, cumpra horários e regras e além de tudo isso que ele se divirta e brinque bastante ..  A escola, para nós,  acabou sendo a melhor alternativa.

Pequeno adultos


É triste ver o que o comércio está fazendo com as nossas crianças..          São meninas de mini saia em couro preto, sapatinhos de salto, muita maquiagem e frequentes idas ao salão..  São crianças com comportamento de adultos, reivindicando direitos que de fato não são para sua fase, são meninos e meninas de 9 anos de idade, “ficando” uns com os outros se dizendo pré-adolescentes..  Até onde eu sei existia infância, adolescência e fase adulta, mas do jeito que as coisas andam, daqui a pouco bebês de 9 meses serão pré crianças, crianças de 06 anos serão pré-adolescentes, os de 10 serão de fato os adolescentes e com 15 anos teremos que encará-los como adultos !  
 
Quando eu era criança, pintar as unhas era proibido porque isso era coisa para adulto e quando comecei a fazê-lo meus pais permitiam tons branquinhos e rosinhas, porque “mocinha” - era este o título que minha mãe me deu dos meus 13 em diante - não podia usar coisa de “moça feita”, sapato de salto eu usei a partir dos meus 15 anos.  

Dia destes fui à festa de 10 aninhos da filha de uma amiga e a aniversariante usava um vestido frente única decotadíssimo e a qualquer movimento da menina se via seus minúsculos peitinhos ..   Me contive para não questionar a mãe da criança sobre o porque daquela roupinha tão provocante?  A menina brincando sem parar, não tinha os devidos cuidados e por hora seus mamilos (já em crescimento) ficavam à mostra.   Porque os pais não proíbem as crianças de se tornarem alvos de pedófilos, de despertarem cedo demais para um assunto tão adulto quanto a sexualidade?

Outra coisa que é proveniente do consumismo e também anda de braço dado com a sexualidade é a história de festa de aniversário em salão .. Funciona assim, a mãe da aniversariante compra um pacote de escova, unha e maquiagem para a filha e suas amigas e aqueles “projetos de mulher” vão em bandinho pro salão.   Além de incentivar hábitos adultos como o de se maquiar, também incentiva o consumismo, pois uma escova+mão+maquiagem não sai por menos de uns R$ 100,00 quando bem negociados e ao final da “festa” saem aquelas pequenas caricaturas, às vezes até de cílios postiço e escova progressiva, o que cá entre nós é um abuso à saúde da criança.         Era tão gostoso quando eu e minhas amigas ficávamos em casa no final de semana calçando sapatos e vestindo roupas de minha mãe.. como era divertido !  Expressávamos a nossa vaidade feminina infantil de uma forma inocente e não onerosa.

Aqui, um exemplo óbvio do incentivo absurdo à sexualidade precoce infantil.  A marca Jours Après Lunes lançou recentemente uma linha de “loungerie” (uma espécie de lingerie para usar por casa - lounge) para crianças dos 04 aos 12 anos e a sua campanha de promoção não tardou em despertar a controvérsia e até a ira de críticos,  não somente pelas peças, mas devido às fotos de crianças com penteados elaborados, maquiagem carregada, sapatos altos e colares de pérolas ao pescoço, as pequenas modelos aparecem vestidas apenas com a lingerie e em poses que os críticos consideram demasiado “sensuais.


Estas fotografias não são bonitas. É completamente impróprio ter crianças de quatro ou oito anos com um penteado como o de Brigitte Bardot no filme E Deus Criou a Mulher” ( Marilisa Racco, crítica de moda em entrevista ao Jornal NY Daily News)

Abaixo, Thylane Lena-Rose Blondeau, de 10 anos. A menina esteve  no centro das atenções e provocou ácidas e bem fundadas críticas por ter sido fotografada com roupas provocantes, ou até mesmo sem roupa como na foto abaixo, trajando apenas um colar e em poses sensuais num editorial da Vogue francesa.


Onde será que vamos parar ??


Minha mulher está grávida

Todas nós mamães, casadas com os pais de seus filhos ou não, tivemos a oportunidade de ver este momento na vida do parceiro .. O de receber a notícia da nossa gravidez!  As reações são as mais diversas possíveis, mas de um modo geral até pais que desejavam que suas mulheres engravidassem, acabam por sentir um mix de sentimentos que envolve euforia, às vezes raiva, preocupação, medo e incertezas, inúmeras incertezas !   Se algum desses sentimentos nos acomete, imagine a eles que são pais “ainda não sendo” ..  Vou usar o Joel de exemplo para não ficar divagando acerca de pais alheios, mas sim, sobre a experiência que tive dentro de minha casa.

Será que é refluxo ?

O Mateus era um bebê que vivia gofando e aquilo me incomodava profundamente, pois eu não sabia o que ele absorvia das mamadas e portanto até fazer 40 dias eu ia semanalmente ao pediatra dele acompanhar o ganho de peso.   Semanas depois para minha tranqüilidade o médico usou um termo engraçado que definiu o meu pequeno ..  “_ Mamãe, não se preocupe.. O Mateus é menino e menino é glutão”  ou seja, ele mamava demais e vomitava o excedente, por isso o bom ganho de peso e por isso que não era de se preocupar.

Posts Recentes

Últimos Comentários

Não perco por Nada!

CAIXINHA DA MAMÃE - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2013
Desenvolvimento EMPORIUM DIGITAL